Pensando um pouco na vida... Um artigo sobre a nova geração e os novos males da sociedade!


Meu filho, você não merece nada
A crença de que a felicidade é um direito tem tornado despreparada a geração mais preparada
ELIANE BRUM
   Divulgação
ELIANE BRUM
Jornalista, escritora e documentarista. Ganhou mais de 40 prêmios nacionais e internacionais de reportagem. É autora de 
Coluna Prestes – O Avesso da Lenda (Artes e Ofícios), A Vida Que Ninguém Vê (Arquipélago Editorial, Prêmio Jabuti 2007) e O Olho da Rua (Globo).
E-mail: elianebrum@uol.com.br Twitter: @brumelianebrum
Ao conviver com os bem mais jovens, com aqueles que se tornaram adultos há pouco e com aqueles que estão tateando para virar gente grande, percebo que estamos diante da geração mais preparada – e, ao mesmo tempo, da mais despreparada. Preparada do ponto de vista das habilidades, despreparada porque não sabe lidar com frustrações. Preparada porque é capaz de usar as ferramentas da tecnologia, despreparada porque despreza o esforço. Preparada porque conhece o mundo em viagens protegidas, despreparada porque desconhece a fragilidade da matéria da vida. E por tudo isso sofre, sofre muito, porque foi ensinada a acreditar que nasceu com o patrimônio da felicidade. E não foi ensinada a criar a partir da dor.

Há uma geração de classe média que estudou em bons colégios, é fluente em outras línguas, viajou para o exterior e teve acesso à cultura e à tecnologia. Uma geração que teve muito mais do que seus pais. Ao mesmo tempo, cresceu com a ilusão de que a vida é fácil. Ou que já nascem prontos – bastaria apenas que o mundo reconhecesse a sua genialidade.

Tenho me deparado com jovens que esperam ter no mercado de trabalho uma continuação de suas casas – onde o chefe seria um pai ou uma mãe complacente, que tudo concede. Foram ensinados a pensar que merecem, seja lá o que for que queiram. E quando isso não acontece – porque obviamente não acontece – sentem-se traídos, revoltam-se com a “injustiça” e boa parte se emburra e desiste.

Como esses estreantes na vida adulta foram crianças e adolescentes que ganharam tudo, sem ter de lutar por quase nada de relevante, desconhecem que a vida é construção – e para conquistar um espaço no mundo é preciso ralar muito. Com ética e honestidade – e não a cotoveladas ou aos gritos. Como seus pais não conseguiram dizer, é o mundo que anuncia a eles uma nova não lá muito animadora: viver é para os insistentes.

Por que boa parte dessa nova geração é assim? Penso que este é um questionamento importante para quem está educando uma criança ou um adolescente hoje. Nossa época tem sido marcada pela ilusão de que a felicidade é uma espécie de direito. E tenho testemunhado a angústia de muitos pais para garantir que os filhos sejam “felizes”. Pais que fazem malabarismos para dar tudo aos filhos e protegê-los de todos os perrengues – sem esperar nenhuma responsabilização nem reciprocidade.
É como se os filhos nascessem e imediatamente os pais já se tornassem devedores. Para estes, frustrar os filhos é sinônimo de fracasso pessoal. Mas é possível uma vida sem frustrações? Não é importante que os filhos compreendam como parte do processo educativo duas premissas básicas do viver, a frustração e o esforço? Ou a falta e a busca, duas faces de um mesmo movimento? Existe alguém que viva sem se confrontar dia após dia com os limites tanto de sua condição humana como de suas capacidades individuais?

Nossa classe média parece desprezar o esforço. Prefere a genialidade. O valor está no dom, naquilo que já nasce pronto. Dizer que “fulano é esforçado” é quase uma ofensa. Ter de dar duro para conquistar algo parece já vir assinalado com o carimbo de perdedor. Bacana é o cara que não estudou, passou a noite na balada e foi aprovado no vestibular de Medicina. Este atesta a excelência dos genes de seus pais. Esforçar-se é, no máximo, coisa para os filhos da classe C, que ainda precisam assegurar seu lugar no país.

Da mesma forma que supostamente seria possível construir um lugar sem esforço, existe a crença não menos fantasiosa de que é possível viver sem sofrer. De que as dores inerentes a toda vida são uma anomalia e, como percebo em muitos jovens, uma espécie de traição ao futuro que deveria estar garantido. Pais e filhos têm pagado caro pela crença de que a felicidade é um direito. E a frustração um fracasso. Talvez aí esteja uma pista para compreender a geração do “eu mereço”.

Basta andar por esse mundo para testemunhar o rosto de espanto e de mágoa de jovens ao descobrir que a vida não é como os pais tinham lhes prometido. Expressão que logo muda para o emburramento. E o pior é que sofrem terrivelmente. Porque possuem muitas habilidades e ferramentas, mas não têm o menor preparo para lidar com a dor e as decepções. Nem imaginam que viver é também ter de aceitar limitações – e que ninguém, por mais brilhante que seja, consegue tudo o que quer.

A questão, como poderia formular o filósofo Garrincha, é: “Estes pais e estes filhos combinaram com a vida que seria fácil”? É no passar dos dias que a conta não fecha e o projeto construído sobre fumaça desaparece deixando nenhum chão. Ninguém descobre que viver é complicado quando cresce ou deveria crescer – este momento é apenas quando a condição humana, frágil e falha, começa a se explicitar no confronto com os muros da realidade. Desde sempre sofremos. E mais vamos sofrer se não temos espaço nem mesmo para falar da tristeza e da confusão.

Me parece que é isso que tem acontecido em muitas famílias por aí: se a felicidade é um imperativo, o item principal do pacote completo que os pais supostamente teriam de garantir aos filhos para serem considerados bem sucedidos, como falar de dor, de medo e da sensação de se sentir desencaixado? Não há espaço para nada que seja da vida, que pertença aos espasmos de crescer duvidando de seu lugar no mundo, porque isso seria um reconhecimento da falência do projeto familiar construído sobre a ilusão da felicidade e da completude.

Quando o que não pode ser dito vira sintoma – já que ninguém está disposto a escutar, porque escutar significaria rever escolhas e reconhecer equívocos – o mais fácil é calar. E não por acaso se cala com medicamentos e cada vez mais cedo o desconforto de crianças que não se comportam segundo o manual. Assim, a família pode tocar o cotidiano sem que ninguém precise olhar de verdade para ninguém dentro de casa.

Se os filhos têm o direito de ser felizes simplesmente porque existem – e aos pais caberia garantir esse direito – que tipo de relação pais e filhos podem ter? Como seria possível estabelecer um vínculo genuíno se o sofrimento, o medo e as dúvidas estão previamente fora dele? Se a relação está construída sobre uma ilusão, só é possível fingir.

Aos filhos cabe fingir felicidade – e, como não conseguem, passam a exigir cada vez mais de tudo, especialmente coisas materiais, já que estas são as mais fáceis de alcançar – e aos pais cabe fingir ter a possibilidade de garantir a felicidade, o que sabem intimamente que é uma mentira porque a sentem na própria pele dia após dia. É pelos objetos de consumo que a novela familiar tem se desenrolado, onde os pais fazem de conta que dão o que ninguém pode dar, e os filhos simulam receber o que só eles podem buscar. E por isso logo é preciso criar uma nova demanda para manter o jogo funcionando.

O resultado disso é pais e filhos angustiados, que vão conviver uma vida inteira, mas se desconhecem. E, portanto, estão perdendo uma grande chance. Todos sofrem muito nesse teatro de desencontros anunciados. E mais sofrem porque precisam fingir que existe uma vida em que se pode tudo. E acreditar que se pode tudo é o atalho mais rápido para alcançar não a frustração que move, mas aquela que paralisa.

Quando converso com esses jovens no parapeito da vida adulta, com suas imensas possibilidades e riscos tão grandiosos quanto, percebo que precisam muito de realidade. Com tudo o que a realidade é. Sim, assumir a narrativa da própria vida é para quem tem coragem. Não é complicado porque você vai ter competidores com habilidades iguais ou superiores a sua, mas porque se tornar aquilo que se é, buscar a própria voz, é escolher um percurso pontilhado de desvios e sem nenhuma certeza de chegada. É viver com dúvidas e ter de responder pelas próprias escolhas. Mas é nesse movimento que a gente vira gente grande.

Seria muito bacana que os pais de hoje entendessem que tão importante quanto uma boa escola ou um curso de línguas ou um Ipad é dizer de vez em quando: “Te vira, meu filho. Você sempre poderá contar comigo, mas essa briga é tua”. Assim como sentar para jantar e falar da vida como ela é: “Olha, meu dia foi difícil” ou “Estou com dúvidas, estou com medo, estou confuso” ou “Não sei o que fazer, mas estou tentando descobrir”. Porque fingir que está tudo bem e que tudo pode significa dizer ao seu filho que você não confia nele nem o respeita, já que o trata como um imbecil, incapaz de compreender a matéria da existência. É tão ruim quanto ligar a TV em volume alto o suficiente para que nada que ameace o frágil equilíbrio doméstico possa ser dito.

Agora, se os pais mentiram que a felicidade é um direito e seu filho merece tudo simplesmente por existir, paciência. De nada vai adiantar choramingar ou emburrar ao descobrir que vai ter de conquistar seu espaço no mundo sem nenhuma garantia. O melhor a fazer é ter a coragem de escolher. Seja a escolha de lutar pelo seu desejo – ou para descobri-lo –, seja a de abrir mão dele. E não culpar ninguém porque eventualmente não deu certo, porque com certeza vai dar errado muitas vezes. Ou transferir para o outro a responsabilidade pela sua desistência.

Crescer é compreender que o fato de a vida ser falta não a torna menor. Sim, a vida é insuficiente. Mas é o que temos. E é melhor não perder tempo se sentindo injustiçado porque um dia ela acaba.

(
Eliane Brum escreve às segundas-feiras.)

Torta d'Arancio

Questa ricetta ho provato nell'altro giorno, ma non ho saggiato l'esperimento. Da quello che ho saputo era buonissima... e anche per questo sto scrivendo la ricetta sul Blog!

Ingredienti per l'impasto
150gr di farina '00' o '0'
25gr di zucchero
125gr di burro
1 cucchiaio d'acqua

Ingredienti del ripieno
la scorza di 2 arancie
140ml di succo d'arancia
50gr di pangrattato
2 cucchiai di succo di limone
150gr di panna fresca
50g di burro
50gr di zucchero
2 uova - tuorli separati dagli albumi
pizzico di sale

Pasta frolla:
Mescolare lo zucchero con la farina e poi aggiungere il burro a pezzi. Mescolare con le mani lavorando velocemente per non riscaldare troppo l'impasto. Poi aggiungere l'acqua e lavorare finché non diventi un impasto morbido ed omogeneo. Avvolgere in pellicola e lasciar riposare in frigo per almeno 30 minuti.
Stendere l'impasto tra due foglie di carta forno con l'aiuto del matterello e usatela per foderare uno stampo di 23-25cm di diametro. Eliminare l'impasto che fuoriesce dello stampo passando il mattarello sul bordo. Coprire con carta forno (potete riutilizzare quella dove l'avete steso) e riempire con fagioli secchi. Cuocere in forno preriscaldato a 190°C per 15minuti, poi togliere la carta forno e i fagioli e cuocere per altri 10-15 minuti.

Nel frattempo potete fare il ripieno mescolando la scorza e il succo d'arancio col pangrattato. Poi aggiungere la panna e il succo di limone. In un pentolino far sciogliere lo zucchero nel burro, togliere dal fuoco e mescolare i tuorli e il pizzico di sale insieme. Versare questo nel composto d'arancia e mescolare bene. Montare gli albumi ed incorporare delicatamente con una spatola nel composto d'arancia. Versare il ripieno sulla pasta frolla già cotta e riportare al forno a 170°C per altri 45 minuti.
Si può servire tiepida con un po'di panna montata decorata con scorza d'arancia sopra.

 

Muffin di Cioccolato

L'altro giorno mi hanno chiesto di fare una ricetta per portare a una piccola festa in ufficio. Ho scelto questa di muffin di cioccolato che sono spettacolari, non c'è come non piacere! Infatti mi hanno raccontato che è stato un vero successo. =)


Ingredienti
175gr cioccolato fondente in scaglie
250gr di farina '00'
2 cucchiaini di lievito chimico
½ cucchiaino di bicarbonato di sodio
30gr di cacao in polvere
90gr di burro a temperatura ambiente
1 uovo
125gr di zucchero
125gr di panna
160ml di latte


Mescolare bene il cioccolato in scaglie (o grattugiato) con la farina, il cacao in polvere, il lievito e il bicarbonato. In un'altra ciotola sbattere lo zucchero col burro, poi aggiungere l'uovo, la panna e il latte e sbattere un altro po' finché non diventi spumoso. Versare il composto asciutto a quello liquido e mescolare con un cucchiaio o spatola. Riempire gli stampi da muffin ( imburrati ed infarinati) fino a un centimetro dal bordo. Cuocere in forno pre-riscaldato a 190°C per circa 20-25 minuti. 


Una variazione buonissima è versare un po' del composto dentro lo stampo, mettere un cucchiaino di nutella e finire di riempire. Meglio se mangiate questa variazione calda o tiepida... potete anche riscaldarlo per 10-15 secondi nel microonde prima di mangiarlo.



Português

No outro dia me pediram para eu fazer um doce para uma festinha no escritório do trabalho... logo pensei nessa maravilhosa receita de muffin de chocolate, é impossível resistir! E se você tem os ingredientes em casa, em pouco tempo ela está pronta. A parte mais chata é picar o chocolate, mas usando uma faca afiada fica mais fácil. =)


Ingredientes
175g de chocolate meio amargo em pedacinhos
250g de farinha
2 colheres de chá de fermento em pó
½ colheres de chá de bicarbonato de sódio
30g de chocolate em pó
90g de manteiga/ margarina em temperatura ambiente
1 ovo
125g de açúcar
125g de creme de leite (melhor se for fresco)
160ml de leite


Misturar todos os ingredientes secos: chocolate, chocolate em pó, farinha, fermento e bicarbonato. Num outro recipiente bater a manteiga com o açúcar até virar um creme, depois junte o ovo, o creme de leite e o leite e bata até ficar espumoso. Misture os ingredientes secos no composto líquido com uma colher de metal ou espátula. Encha as forminhas de muffin já untadas e enfarinhadas deixando 1cm para o muffin crescer. Leve ao forno já pré-aquecido a 190°C por 20-25 minutos. 

Outra possibilidade é encher a forminha até a metade, colocar uma colher de chá de nutella no meio e terminar de encher a forminha. O ideal é comer ele morno ou quentinho enquanto o recheio tá cremoso, mas se você tiver micro-ondas, esquente por 10-15 segundos e você obterá o mesmo efeito! Uau...

Bom apetite!

Carciofo in crosta

Questa è una ricetta della Scuola Cordon Bleu. Non è leggerissima come ricetta, però è comunque molto buona e se si mangia solo una non diventa pesante. Si può farlo come antipasto caldo o come contorno, ma in questo caso mi sembra un po' troppo. 

ingredienti
x 6 persone
500gr di pasta sfoglia
6 carciofi mamme
100gr di fontina grattugiata o altro formaggio
200ml di brodo
50ml di latte
20gr di burro
20gr di farina
sale
1 uovo sbattuto per la doratura
fondo bianco per ortaggi (100 – 150ml d’acqua, un po’ di succo di limone, olio, 1 cucchiaio di farina, pizzico di sale)

Stendere la pasta sfoglia molto sottile e preparare alcune decorazioni, mettere in frigo a riposare.
Pulire bene i carciofi tagliandoli più o meno a mettà della altezza, togliendo le foglie sterne più dure e svuotando il centro con l’aiuto di un cucchiaino. Si deve togliere tutti quei “pelli” che ci sono. Metterli in una ciotola con acqua e limone. Tagliare i gambi alla base e pelarli.
In una pentola preparare il fondo bianco per ortaggi mescolando tutti gli ingredienti, quando prende bollore aggiungere i carciofi e i gambi. Cuocere per qualche minuto, non importa che diventino morbidissimi perché dopo vanno in forno.
Nel frattempo preparare il ripieno: in una casseruola farsciogliere il burro, unirvi la farina e far tostare. Girare continuamente ed aggiungere il latte ed il brodo già caldo, lasciar cuocere per 10 minuti girando di tanto in tanto. Fuori dal fuoco amalgamarvi il formaggio e i gambi di carciofi tagliati a dadini.
Dopo aver sgocciolato bene i carciofi, riempirli con la ‘fonduta’.
Avvolgere ogni carciofo con un quadrato di pasta sfoglia, attaccare alcune decorazioni con l’uovo battuto, porre su carta forno e in frigo per alcuni minuti prima di cuocerli in forno pre-riscaldato a 200˚C finché la sfoglia non sia dorata
.

Tiramisù

Classico italiano, buono e facile da fare!

ingrediente
5 tuorli
5 albumi
5 cucchiai di zucchero
500gr di mascarpone
1 scatola di biscotti pavesini
caffè q.b.
cacao in polvere per la decorazione

Fare il caffè e lasciarlo da parte. Montare gli albumi in una ciotola. In un’altra ciotola montare i tuorli con lo zucchero finche non sia diventato una crema e abbia preso un color giallo chiaro. Aggiungere il mascarpone alla crema e sbatterere ancora un po’ ma non troppo. Incorporare gli albumi alla crema delicatamente girando con una spatolla dal basso verso l’alto. Versare il caffè già freddo in un contenitore per bagnare i biscotti. Su una teglia spalmare un po’della crema in fondo. Bagnare i pavesini nel caffè e porli uno accanto all’altro sulla base di crema. Spalmare un’altro stratto di crema sui biscotti e ripettere gli stratti alternati crema-biscotto facendo con che l’ultima sia di crema. Lasciar riposare in friggo per qualche ora e spolverare col cacao prima di servire.

Torta di banana rovesciata

Quando si pensa in Brasile viene subito l'immagine di questa frutta in mente, oltre al famoso calcio e samba. E la torta di banane è una meraviglia! Semplice e veloce da fare, gustosa e bella da vedere quando si fa questo trucco delle banane tagliate sul caramello. La prossima volta proverò a scattare una foto prima di mangiarla tutta...

ingredienti
3 uova
5 banane circa
2 cup di pangrattato
2 cup di zucchero
1 cup d’olio di semi
1 cucchiaino di lievito chimico
per il caramello
150gr di zucchero
50ml d’acqua

Sciogliere lo zucchero con l’acqua in una pentola, pulire i bordi della pentola con un pennello con l'acqua per non bruciare lo zucchero. Attenzione che non si può mescolare col cucchiaio! Far prendere un colore biondo chiaro e versare sulla teglia coprendo tutto il fondo, poi organizzare le fette di banane.
Frullare le uova, 3 banane, lo zucchero e l’olio insieme. In una ciotola mescolare pangrattato e lievito insieme. In un’altro contenitore versare il composto del frullatore ed aggiungere il pangrattato un po’ alla volta, mescolare bene. Versare questo composto sopra le fette di banane e portare al forno pre-riscaldato a 180˚C. Cuocere per 30 – 40 min o finché non sia pronto. Lasciar raffreddare e rovesciarla sul piatto da servire.

Torta casalinga con farina di mais

Semplice, delicata e di testura diversa per l'utilizzo della farina di mais, è più croccante e granulosa che una torta fatta con la farina '00'. Buona per colazione o merenda!

ingredienti
2 cup di zucchero (anche un po’ meno)
2 cucchiai di burro a temperatura ambiente
2 cup di farina istantanea per polenta
4 tuorli
200ml di latte di cocco o 120ml di panna e 80ml di latte
2 cucchiaini di lievito chimico
4 albumi
pizzico di sale
1 arancia da spremuta

Sbattere lo zucchero col burro, aggiungere i tuorli e sbatterere un’altro po’. Alternare l’aggiunta di farina di mais e il latte di cocco lasciando un po’ di farina per mescolare il lievito ed aggiungere alla fine. Montare bene gli albumi col pizzico di sale. Mescolare con l’altro composto delicatamente per non smontarli. Imburrare ed infarinare uno stampo e versare il composto. Cuocere in forno pre-riscaldato a 180˚C afinche lo stecchino non esca bagnato. Grattuggiare la scorza d’arancia e mescolare con il suo succo, a voglia zuccherare la spremuta. Versare sopra la torta ancora calda per far assorbire. Gradire a temperatura ambiente!

L'altro giorno ho fatto con 1/2 cup di farina di mandorle e delle mandorle a pezzetti all'interno dell'impasto. Poi, non avendo la panna, ho utilizzato latte intero. Era favolosa! 

Torta dolce di zucchine e noci

La torta di zucchine è diventata un classico nella mia casa. È sempre un vero successo, sia tra amici e parenti che per la sua presentazione nelle occasione dove la abbiamo portato. Nessuno immagina che sia una torta fatta con le zucchine, e di solito mia mamma non lo dice perché non si sa mai se qualcuno ha problemi per mangiare la verdura...
Soffice e croccante fuori, le noci danno un gusto dolce e delicato. Per fare una bella figura consiglio una copertura di cioccolato fondente!

ingredienti
2 uova
2 cup di zucchero
2 cup di farina ‘00’
2 cup di zucchine (verdi) grattuggiate
1 cup di olio di semi
1½ cup di noci a pezzi
2 cucchiaini di cannella in polvere
2 cucchiaini di vanilina
1 pizzico di sale
1 cucchianino di bicarbonato di sodio
1 cucchiaino di lievito chimico

In una ciotola settaciare tutti gli ingredienti secchi – farina, cannella, bicarbonato, sale e lievito –mescolare bene e mettere da parte. In un’altra ciotola sbattere le uova con lo zucchero, aggiungere l’olio, le zucchine ed alla fine le noci. Mescolare bene e aggiungere la farina un po’ alla volta. Imburrare ed infarinare una teglia da ciambellone e versare il composto. Cuocere in forno pre-riscaldato a 180˚C per circa 40 minuti o afinche, quando si fa la prova dello stecchino, questo non esca bagnato.

Ancora meglio con una copertura di cioccolato fondente!

copertura di cioccolato fondente
Far bollire 150gr di panna fresca in una pentola. Appena bolle toglierla dal fuoco e aggiungere 100gr di cioccolato fondente a piccoli pezzeti. Lasciar riposare qualque minuto e mescolare con un cucchiaio fino a ottenere una crema liscia e omogenea. Versare sopra la torta già raffreddata e sformata.

Torta di Carote

Questa è una torta di carote molto buona e la ricetta torna! In Brasile questo tipo di torta è molto popolare e troviamo spesso nei ristoranti. E anche a casa per la merenda o lo spuntino del pomeriggio... Purtroppo non ho una foto, ma questa terribile abitudine di non avere fotografie cambierò ora che ho comprato dei piatti belli per le mie torte!!! =) 
Si, sono stata all'Ikea e ovviamente non sono riuscita a resistere al riparto cucina... Meglio per il Blog, direi. 

ingredienti
4 carote (grosse) grattugiate
4 uova
250ml di succo d’arancia
3 cup di farina ‘00’
2 cucchiai di lievito chimico
1 cup di zucchero
½ cup di olio di semi

Mescolare in una ciotola la farina con lievito. Nel frullatore o mini pimer frullare tutti gli altri ingredienti insieme. Versare il composto del frullatore in una ciotola. Aggiungere la farina a pioggia al liquido ottenuto e mescolare con un cucchiaio. Imburrare ed infarinare una teglia da forno e versare il composto. Cuocere in forno preriscaldato a 180˚C per circa 40 minuti.

A voglia si potrebbe fare una copertura di cioccolato fondente!
Far bollire 150gr di panna fresca in una pentola. Appena bolle toglierla dal fuoco e aggiungere 100gr di cioccolato fondente a piccoli pezzeti. Lasciar riposare qualque minuto e mescolare con un cucchiaio fino a ottenere una crema liscia e omogenea. Versare sopra la torta già raffreddata e sformata.

Suspirinhos de Amendoa - Mini Meringhe alla Mandorla

Muitos me pedem esta receita maravilhosa e muito popular da Z'Biscuits e há séculos estou devendo! Hoje resolvi postar no Blog, assim acabo com o problema de ter de mandar para várias pessoas...

Ingredientes
4 claras
300g de açúcar de confeiteiro
270g de amêndoa ralada fina ou farinha de amêndoa
2 colheres de chá de canela em pó

Bater as claras em neve na batedeira em velocidade constante. Quando começar a ficar espumoso junte o açúcar aos poucos e continue batendo até adquirir consistência firme.
Junte às claras a amêndoa misturada com a canela em pó, misturando com uma colher de baixo para cima com cuidado para não "desmontar" as claras.
Forre uma forma com papel manteiga e faça suspirinhos com um saco de confeiteiro ou com a ajuda de uma colher de chá.
Deixe secar durante duas horas e leve ao forno pré-aquecido a 160 graus por 15 minutos ou até que fique douradinho. 

Simples e uma delícia!




Italiano

ingredienti
4 albumi
300gr di zucchero a velo
270gr di farina di mandorla
2 cucchiaini di cannella in polvere

Montare gli albumi in planetaria con la frusta a velocità bassa e costante. Quando è già diventata una schiuma, aggiungere lo zucchero a velo a pioggia. Montarli ancora finchè non rimanga ferma.
Aggiungere la farina di mandorla insieme alla cannella in polvere mescolando con un mestolo dal basso verso l'alto faccendo attenzione per non smontare il tutto.
Fare le mini meringhe su una teglia foderata con la carta forno con l'aiuto del saccheto da pasticciere o un cucchiaino. Lasciar riposare per 2 ore e poi cuocerle in forno riscaldato a 160 gradi per 15 minuti o finchè non siano pronti. 

Semplice e buonissime!

Canja de Galinha - vecchia ricetta per ammalati

Nell' altro giorno ero ammalata... non tanto, un raffreddore. Mi sono ricordata di una vecchia ricetta brasiliana, una che fanno tutte le nonne per i nipoti ammalati! Davvero funziona e è deliziosa... almeno questa ricetta mi piace. 
Nutritiva e leggera, proprio quello che abbiamo bisogno in questi momenti.
Poi, oltre a questo avevo appena acquisto la mia bellissima pentola a pressione! Può sembrare strano, ma questo tipo di pentola è molto utile in cucina, per cucinare legumi è perfetta! Lo fa in pochissimo tempo  in un una pentola normale ci vorrebbe 2 ore, in questa, la metà o ancora meno. Fantastica! 
Sfortunatamente non ho fatto nessuna fotografia... ero ammalata. =)

Ingredienti:

200gr di riso
1 spicchio d'aglio
1 cucchiaino di zenzero grattugiato
Porro qb
cosce e sovracosce di pollo - se ci sono le ossa diventa più nutriente, ma è necessario spolpare la carne dalle ossa prima di servire.
1 cipolla media tritata
2 carote medie tagliate a cubetti
2 litri di acqua

Prezzemolo ed erba cipollina tritata qb
Pepe pepe nero qb
Noce moscata qb
Sale qb

Rosolare il pollo in po' d'olio. Aggiungere la cipolla, l'aglio, la noce moscata, il pepe, le carote, il riso, lo zenzero ed il sale in quest' ordine. Rosolare esso per pochi minuti. Aggiungere i porri e l'acqua. Cuocere in pentola a pressione a contare dal momento in cui comincia a bollire, 15 min.
Spengere il fuoco, aspettare la depressurizzazione della pentola mettendola sott'acqua fredda. Quando non c'è più pressione interna, aprire la pentola e aggiungere il prezzemolo e l'erba cipollina.
Cuocere per altri 3 minuti senza coperchio. Servire... Buon appetito!

PORTUGUÊS
Ingredientes:

200g de arroz
1 dente de alho amassado
1 colher de chá de gengibre raspado 
Alho porró – quantidade a gosto
2 coxas com sobre-coxas de frango – com ossos fica mais nutritiva, mas se deve desfiar a carne antes de servir.
1 cebola média picada
2 cenouras médias picadas em cubinhos
2 litros de água

Salsa e Cebolinha picada a gosto
Pimenta-do-reino a gosto
Noz-moscada a gostoSal a gosto


Doure o frango em pouco azeite. Acrescente a cebola, o alho, a noz
moscada, a pimenta, as cenouras, o arroz, o gengibre e o sal nessa
ordem. Refoque tudo por uns minutos. Coloque o alho-poró e a água e
cozinhe em panela de pressão e conte, a partir do momento que começa a ferver, 15 min.
Apague o fogo, espere baixar a pressão da panela colocando debaixo d'agua fria. Quando não tiver mais pressão interna, abra a panela e acrescente a salsa e a 
cebolinha.
Cozinhe por mais 3 min sem tampa. Servir em seguida... Bom apetite!

Roma

E não contente com todos os cursos que faço, resolvi fazer um curso em Roma de confeitaria profissional. Vou para lá e volto. E aqui em Florença continuo minhas aulas de costura e modelagem! Não estava muito contente nas primeiras aulas... muito básico! E um preço um pouco além do básico, nenhum pouco doce.
Mas a medida que o tempo passa ou eu me consolo, ou realmente tem se tornado mais interessante! Acho que são as duas coisas juntas. Resolvi ser feliz e parar de reclamar (mesmo que o meu lado velha rabugenta sempre exista dentro de mim). Estou satisfeita e ganhando confiança nessa área, nessa estrada, nessa vida...

Momento de mudanças. Vamos ver onde isso tudo vai dar... como disse minha amiga do peito, o processo é mais importante que o destino final. Concordo! Até porque o destino final muda... e o que é o final?

Algumas fotos e em breve as receitas!

Sfera di mascarpone al cuore di cioccolato e croccante di nocciola

Semifreddo al gorgonzola, pera al vino rosso

Cornetto con marmelata di fragole



Biscotti da thè al cioccolato

Torta Caprese

Semifreddo al whisky con salsa alle prugne spezziate

a minha versão no prato


Bavarese al prosecco con gelè di fragola

Torta Morbida al Cioccolato — senza farina!

Tanto tempo fa mi hanno chiesto se avevo una ricetta di una torta al cioccolato che fosse morbida dentro. E per caso l'avevo! È una ricetta semplice che ho imparato nel ristorante dove ho fatto lo stage. La fotografia che ce l'ho non è un gran' che... una scusa per farla un' altra volta! 

Ingredienti:

5 uova - tuorli separati dagli albumi
200gr di burro
400gr di cioccolato fondente a pezzetti
100gr circa di zucchero

Fondere il cioccolato con il burro a bagnomaria. Lasciate raffreddare e nel frattempo montare gli albumi d'uovo. In un'altra ciotola sbattete i tuorli d'uovo con lo zucchero fino a creare una crema spumosa. Mescolare questa crema al cioccolato sciolto e poi incorporare delicatamente gli albumi. Fare attenzione a non smontare! Utilizzare una spatola e mescolare dal fondo verso l'alto.
Ungere o foderare con carta forno una tortiera di 20 - 25cm. Versare il composto e portare la torta in forno per circa 30 minuti a una temperatura di 160°C.
La torta non deve cuocere completamente! Deve rimanere morbida all'interno.

Per fare ancora meglio, saggiatela tiepida con un po' di panna montata o con un po' di gelato!

Suggerimento: in paesi caldi, o in estate, vi consiglio di cominciare la ricetta fondendo il cioccolato e iniziare a montare  gli albumi mentre il composto è già sciolto e si raffredda. Durante l'inverno il cioccolato si raffredda molto più velocemente, forse è meglio cominciare a sbattere gli albumi mentre il cioccolato è in bagnomaria...

Bon appetit!


ENGLISH
Ingredients:

5 eggs - separate yolks from the whites
7 oz butter
2½ cups dark chocolate in small pieces
3½ oz sugar (average)

Melt the chocolate with the butter in a heatproof bowl over a pan of simmering water and heat until melted. Let cool and in the meantime whisk the egg whites until stiff peaks form. In another bowl beat the egg yolks with the sugar to create a foamy cream. Mix the chocolate mixture to the beaten egg yolks and then gently fold in  the beaten egg whites. Be careful not to disassemble! Use a spatula and mix from the bottom of the bowl to the top.
Grease a 9 to10-inch round pan. Bake the pie in a preheated oven, 375°F/160°C, for 30 minutes.

The pie should not bake completely! It's better when it remains creamy inside.
Serve with whipped cream or ice cream!

Tip: In hot countries, or in the summer, I recommend to melt the chocolate and to start to beat the egg whites just when the chocolate mixture is done. During the winter the chocolate mixture will cool much faster, perhaps it's better to start beating the egg whites while the chocolate is melting ...

Bon appetit!


PORTUGUÊS
Ingredientes:

5 ovos — separe as claras das gemas
200g de manteiga
400g de chocolate amargo em pedacinhos
100g de açúcar (em média)

Derreter o chocolate junto a manteiga em banho maria. Deixe esfriar e enquanto isso bata as claras em neve até ficarem firmes. Em outra tigela bata as gemas com o açúcar até criar um creme espumoso. Misture o chocolate às gemas batidas e depois incorpore delicadamente as claras em neve. Cuidado para não desmontar! Use uma espátula e misture do fundo da tigela para o alto.
Unte uma forma redonda para torta de 20 - 25cm e leve a torta ao forno por 30 min a uma temperatura de 160°C.

A torta não deve assar por completo! Deve permanecer cremosa por dentro.
Para acompanhar pode-se bater um creme chantilly ou servir com uma bola de sorvete.

Dica: em países quentes, ou no verão, recomendo derreter o chocolate e começar a bater as claras em neve enquanto a mistura esfria. Durante o inverno o chocolate esfria muito mais rápido, quem sabe seja melhor começar a bater as claras enquanto o chocolate está derretendo...

Bom apetite!

Mundo encantado de Juliana Z.

Amo coisas fofas... amo design divertido!

Em Paris vi um artigo que não resisti, um modelador de ovo cozido em forma de coelho e outro em ursinho!! Coisa de japonês, claro. Mas vai dizer que a salada não fica muito mais divertida quando você tem cenouras em forma de flor ou ovo com cara de coelho? Ainda não fiz as duas coisas juntas, hoje estava com pressa e fiz só o ovo. Fica para outro dia as cenouras de florzinha!

Para completar, de Natal ganhei um conjunto de saleiro e pimenteiro, da minha prima Ciça, que é uma graça! São dois pinguins que você pode dar corda e eles vão de um lado ao outro da mesa... ;-)


Saladinha, ovo de coelho, saleiro pinguin e toalhas coloridas!



É uma graça, pode morrer de inveja!



Spaghetti alla chitarra, mascarpone, speck e rucola. Delícia!

Bate e volta em Milão

Estive longe do Blog e por muito tempo. Mil razões para isso...
Para Natal quem veio aqui me visitar foi meu querido Silvio. 20 dias inesquecíveis! Fora que de presente ele nos deu uma viagem para Paris por 5 dias, do dia 31 de dezembro até 5 de janeiro 2010. Foi lindo... um sonho antigo conhecer Paris! Com calma postarei as fotos.




Semana passada fui num bate-volta em Milão visitar amigos antigos que há muito não encontrava. Uma noite muito agradável com jantar no "Pane ed Ojo" (acho que se escreve assim!) que é um restaurante de culinária romana. Depois mais um papinho num bar antes de se despedir...



Pedimos três pratos típicos (já que tinhamos um romano comandando a mesa!) e cada um ia garfando um sabor... bagunça divertida!



Eu, Giacomo e Rafa.

No dia seguinte aproveitei para ver uma mostra na Triennale di Milano, que é o museu de Design da cidade. Achei que a mostra do Lichtenstein terminava dia 26 de janeiro e estava super feliz de conseguir ver, mas a verdade é que ela só começa dia 26! Ok, uma ótima razão para ir a Milão novamente.

Da mostra permanente de design, que estava rolando, trouxe para casa uma idéia... e fiz logo no dia seguinte! Achei que ficou muito bom. A idéia não é minha, mas eu que fiz... =)




E esse é meu vaso de embalagem plástica!

Piazza la Passera



Depois de meses falando, ouvindo e combinando de comer o Lampredotto com amigos, finalmente experimentei esta culinária local fiorentina tão particular!
O Lampredotto e a Trippa são partes, digamos, menos prestigiadas do boi. Com esses miúdos o pessoal faz o prato típico daqui... pela rua se encontram carros-quiosque que fazem pão recheado com lampredotto!
Num momento podrão tipo cachorro-quente no Rio.

Fui convidada por amigos para saborear esses pratos no restaurante Il  Magazzino que fica na Piazza la Passera, oltr' Arno de Firenze. Essa pracinha é uma graça e tem um café que é puro charme... além de ótimo! E parece que o outro restaurante que existe nesta praça também é bom.

Il Magazzino, além de aconchegante é super bem decorado com quadros lindos... mas essas impressões digitais custam uma baba!






E depois de observar todos os quadros e o ambiente, vamos ao Lampredotto...
Começamos com calma com uma Pasta alla Chitarra com molho de lampredotto. A pasta alla Chitarra é uma massa caseira feita com uma massa muito dura e que é cortada sobre uma especie de tear. Assim o macarrão não é redondo ou oval, mas quadrado!
O molho era bem temperado e não se via o tipo de carne... saboroso mesmo que tenha aquele gostinho particular de miúdos.

Minha amiga Teresa comeu raviolli. Esse tinha um sabr ainda mais delicado e mesmo no tamanho exagerado, era bem leve!




Para seguir a degustação pedimos a clássica preparação da Trippa e Lampredotto. Achei ótimo! Imaginava que a consistência fosse ser desagradável e o sabor muito forte, mas no fim é bom! Não comeria com frequência porque continua sendo algo muito particular, mas não negaria um convite, por exemplo.
A aparência é estranha, principalmente quando já se viu a tripa inteira e crua no mercado ao lado do couro da cabeça do boi! Um horror...
Mas no fim parece um coral, macio, nada esponjoso ou borrachento como tinha  no meu imaginário.

 

A manhã seguinte é que são elas... o prato é super pesado e comê-lo à noite não é o mais recomendado pelos fiorentinos. Não consegui tomar café... e mesmo no almoço ainda sentia o estômago cansado. Uma saladinha era o ideal, mas no trabalho isso não existe! :(

Florença: sempre um balanço perto de você!


No outro dia saindo do trabalho aproveitei o solzinho e fui dar uma caminhada antes de voltar para casa. O dia estava, ou melhor, tinha dado uma virada e ficou lindo! Por acaso achei esse balanço, pertinho da minha casa... e por ter chovido a manhã inteira não tinha nenhuma crinaça. =)
Eu era a única no pedaço.

Deixo outros registros dessa tarde, ainda no espírito outonal.








5 de maio

Algumas receitas com beringela que são ótimas! Outras receitas de massa (sempre!) e uma de carne. De sobremesa uma torta muito gostosa.
Bucatini all'amatriciana: não gosto dessa massa, ela é um tipo de spaghetti com buraco no meio. Não enrola no garfo e é ruim de espetar. O sabor do molho era bom, bastante simples.
Spaghetti alla puttanesca: será que diabos eles querem dizer com isso? Essa massa acompanha salsa picada, não queijo ralado... um capricho da "puttanesca"?!
Saltimbocca alla Romana: carne de vitelo com presunto cru e salvia. Por desejo do professor fizemos um "rolê", ele adora mudar as coisas... Ficou bastante salgado e parece melhor do que de fato é.
Melanzana al pomodoro e formaggio: MARAVILHOSO! Ótimo como entrada. Beringela com tomate picadinho em cubos e queijo típico da Lombardia.
Melanzane alla parmigiana: bastante conhecida a beringela à parmigiana é muito saborosa, mas também muito pesada. Para ser mais fácil de servir é recomendado descascar a beringela antes de cortá-la.
Crostata di ricotta: torta simples e muito boa! A cara dela ficou horrorosa, este professor não é nada cuidadoso. A praia dele é outra... é chef de peixe e frutos do mar! Mais tarde colocarei as fotos da aula de peixes!

Bucatini all'amatriciana

Bucatini all'amatriciana

Preparação...

Preparação...

Na panela...alla puttanesca.

Na panela...alla puttanesca.

Puttanesca pronta para servir!

Puttanesca pronta para servir!

Saltimbocca alla Romana

Saltimbocca alla Romana

Melanzana al pomodoro e formaggio

Melanzana al pomodoro e formaggio
Não parece uma delícia?! Com pesto, tomate e queijo.

Receita

para 6 pessoas

2 beringelas cortadas em fatias redondas
100ml de azeite extra virgem
100ml de água
50ml de vinagre de vinho branco
3 tomates maduros cortados em cubos pequenos
200g de queijo (se não me engano era de cabra)

Molho pesto
30 folhas de mangericão
30 folhas de salsa
3 dentes de alho
100g de amêndoas sem casca
1 colher de chá de mostarda picante
sal, pimenta e azeite de oliva

Cozinhar as beringelas em uma frigideira grande não aderente com azeite a fogo alto, tempere com sal e se começar a grudar, respingue um pouco da água misturada ao vinagre. Essa preparação dura uns 5 min, as beringelas não devem ficar muito moles. Deixe as esfriar.
No mixer coloque todos os ingredientes para o pesto e bata até conseguir um composto como um creme.
Numa forma coberta por papel manteiga espalhe as rodelas de beringela, cubra com um pouco de pesto, cubos de tomate e o queijo em fatias. Levar ao forno para gratinar por 5 a 6 min.

Melanzane alla parmigiana.

Melanzane alla parmigiana.

Crostata di ricotta.

Crostata di ricotta.

4 de maio

Muita coisa boa nesta aula... É difícil dizer qual é a melhor aula, sabe? Sempre saio contente da escola, mesmo comendo muito e achando que vou engordar!
Peperoni Marinati: pimentão marinado muito saboroso!
Peperoni marinati in agrodolce: conserva de pimentão, eu achei muito ácido, tem muito vinagre para pouco doce!
Peperoni marinati arrotolati: enroladinhos de pimentão. Acabei não provando, mas parece muito bom!
Crostini di peperoni: estes eram realmente bons. Fora que para servir numa festinha são ótimos.
Tagliatelle panna e prosciutto: pasta com creme de leite e presunto de parma. Um clássico sempre bem vindo.
Roast-Beef à Italiana: continuo preferindo o feeito pelo meu amor...
Sformato di spinaci: acompanhamento de espinafre muito bom! Feito no forno... uma delícia! Podia comer só isso.
Pere al vino rosso: Algo simples e muito elegante, peras cozidas no vinho tinto.
Cialde alle mandorle: biscoitinho do Gula Gula! Gente é muito fácil de fazer! Quase ridículo... que perigo.

Vista geral de todos os preparos com pimentões.

Vista geral de todos os preparos com pimentões.

Crostini

Crostini

Peperoni arrotolati.

Peperoni arrotolati.

Tagliatelle

Tagliatelle

Sformato e Roast-Beef

Sformato e Roast-Beef

Pera no vinho tinto e biscoitinho Gula Gula

Pera no vinho tinto e biscoitinho Gula Gula

Receita

60g de açúcar
1/2 colher de sopa de farinha peneirada
1 colher de sopa de leite
50g de manteiga sem sal
50g de amêndoas picadas

Colocar o açúcar, a farinha, o leite e a manteiga em uma panela de fundo grosso. Derreta e misture tudo em fogo baixo, junte as amêndoas. Deixe cozinhar por 3 min até que ganhe consistência.
Cubra uma forma com papel manteiga e faça montinhos (com ajuda de duas colherinhas) bem distantes uns dos outros com a mistura de amêndoas. Os montinhos vão derreter no forno e se espalhar bastante!
Levar ao forno pré-aquecido a temp. média até que fiquem dourados. Tirá-los da forma após alguns segundos, se quiser dá para modelá-los sobre o rolo de abrir massa... mas é preciso fazer isso enquanto ainda estão quentes e queima o dedo!

Armando

Este é um restaurante tradicional de Florença. Quando comentamos sobre ele na escola uma das professoras disse "Armando me lembra infância e família!"
Até hoje é um ótimo restaurante para se jantar... ambiente familiar e aconchegante, atendimento muito bom e comida super caseira. Ótima dica!
Neste dia estava meio tristinha, não tinha resolvido o problema do apartamento, meio sozinha... Nada melhor que comer bem, não é mesmo?
Comi uma saladinha de entrada com peras, uvas e folhas. Ótima! De prato principal pedi um Spaghetti com abobrinha e tomates — bastante leve.
Nesse meio tempo chegou um homem com sua irmã, clientes da casa. Receberam um prato lindo cheio de presunto de parma com um perfume maravilhoso... e eu ouvindo "que delícia!"
Olhei, não pude evitar! Assim, ao terminar meu spaghetti o moço pediu para a garçonete me trazer uma porção de presunto também! ;)
Então comi aquilo tudo mais umas fatias de presunto! Realmente delicioso.

O restaurante.

O restaurante.
via borgo ogni santi

Minha salada.

Minha salada.

O Spaghetti.

O Spaghetti.

Pasta fatta in casa

Nesta semana uma loja (maravilhosa) de artigos para casa organizou uma demostração de como fazer massa fresca, mostrando como usar todos aqueles utensílios que não sabemos para que servem, etc. Lindo, ótimo... que vontade de comprar coisas e sair fazendo massa também!
O melhor de tudo é que o moço na foto não é chef nem cozinheiro, é um atendente da loja! Acredita?! Era tão simpático em explicar tudo que parecia alguém contratado de um restaurante.
Ele fez massa com tomate, seppie (tinta de um tipo de lula), espinafre... Lindinho, né?

Ravioles recheados de espinafre e ricota. Que fome! Saimos de lá para comer alguma coisa...

Sonhos... ou pesadelos?!

Sonhos... ou pesadelos?!
Nesses dias, na segunda aula de confeitaria com o Chef Calosi, recebemos um pouco de massa de fermento biológico para fazermos algo em casa. Eu depois de uns 3 dias fiz sonhos. Que pesadelo! :)
Fiz bastante direitinho, mas não tive paciência para esperar a massa dobrar de tamanho. Então ficou um tanto compacto... Mas além disso tinha algo que não estava direito, um gosto estranho. Paola (minha colega de apartamento) decifrou o problema, não era gosto de fermento, mas um azedo. Tantos dias na geladeira... tadinhos, morreram!
Porém, sem saber disso tudo, as fotos ficaram boas!
Detalhe do meu infusor de chá super legal.

Meu infusor!

Meu infusor!

Jantar na minha casa!

Fim de semana passada fomos jantar na casa da Christine. Ela fez um super jantar com entrada, prato principal e sobremesa... Que delícia!
De entrada comemos um creme de abobrinha com camarão. Desculpem, estava tão bom que não consegui tirar foto!
Prato principal ela fez a Arista com purê de batatas e ervilhas frescas com bacon. Tudo muito bom!
Sobremesa: copinho de frutas (morango e damasco) com Chantilly.
Ainda saimos para dar uma volta e ir num bar. Christine está à procura de seu "italian lover"! :)

Nesta semana, quarta-feira 13 de maio, fiz um jantarzinho simples aqui em casa. Uma receita que aprendemos na escola esses dias e que é de comer de joelhos! hummm...

Próximo sábado a M.i.J (Made in Japan, codinome da minha amiga!) nos convidou para jantar — COMIDA JAPONESA! Vamos cedinho ao mercado e à tarde ela ainda prometeu ensinar a cortar o peixe e fazer sushi... Hahahaha vai ser divertido!

Minha cozinha! M.i.J, eu e Christine.

Prato principal da Christine

Amo meia-calça estampada!

Amo meia-calça estampada!
Foto tosquinha, mas minha meia... Linda!!! Estrelinhas fofas!
O pessoal por aqui ama meia-calça colorida, de renda, estampada, etc. Tem de todos os tipos e para todos os gostos... e ninguém tá nem aí pro tipo de combinação que você faz! Tem coisas muito legais, pessoas com estilos maravilhosos que adoraria tirar foto como o "Sartorialist", mas não sou ele, né?! Não paro as pessoas na rua!
Mas hoje também vi uma mulher que era o cão! Até a italiana comentou com o amigo... Poxa, a bota cano longo estilo cowboy não fechava mais o zipper! Que isso...

Novas ideias!

A rotina aqui em Firenze é muito agitada, não consigo manter um ritmo de postagens eficaz... Resolvi mudar a minha proposta inicial, vou postando as fotos das aulas, da cidade, dos passeios e quando conseguir coloco alguma receita completa. Espero que ninguém fique muito chateado ou com fome... :)

Primeira aula de confeitaria... Que loucura!

Nossa primeira aula de confeitaria foi intensa por vários motivos, o professor fala de forma um tanto particular, vai diminuindo o volume de acordo com o fim da frase. Além disso, muita coisa tinha que estar semipronto pois não havia tempo de esperar o fermento biológico crescer. Assim ele fazia uma coisa, mas você tinha que entender que antes daquele momento havia milhões de outras etapas. Complexo!
No fim foi ótimo, comemos muito e ainda levamos croissant para o café da manhã do dia seguinte....

Sonho de consumo

Sonho de consumo
Linda kitchenaid vermelha!!!

Croissant

Croissant
Massa folhada para croissant

segundo momento...

segundo momento...

Crema Pasticcera

Crema Pasticcera
Creme de confeiteiro com baunilha de verdade!

E pronto para ser devorado!

E pronto para ser devorado!
Não é lindo? Pena que engorda tanto...

Variações com a mesma massa

Variações com a mesma massa
Polacchina

Preparação do Pain au Chocolat

Preparação do Pain au Chocolat
Olha que delícia! Imagine pronto...

Irresistível!

Irresistível!

Brioche

Brioche
recheado com crema pasticcera

Brioche e suas variações

Brioche e suas variações
Este era a mesma massa do brioche só que com amêndoas. No fim ainda foi recheado com creme Chantilly, não precisava...

Baba (Babá)

Baba (Babá)
Realmente essa massa era igual aquela geleca que todo mundo tinha quando criança! Mas depois que vai ao forno... que delícia!

Baba depois do forno, segunda etapa!

Baba depois do forno, segunda etapa!
depois desse momento ainda foi banhado em calda de chá de laranja e cointreau... irresistível! Essa é a rasão de não ter nenhuma foto dele pronto... Super leve e derretia na boca! hummm

Quarta aula - 30 de abril

Este dia foi ótimo! Fizemos um almoço super completo: entrada de torradinha com patê de figado de galinha, como prato principal costelas de porco com batatas no forno e saladinha. Ficou faltando a sobremesa, mas como à noite tinhamos a aula de confeitaria, nem fez falta!

O patê é realmente simples e muito gostoso... Acho que aos poucos vou conseguir superar meu problema com figado! A limpeza que é um tanto estranha, não fui eu que fiz. Vamos ver se no dia que tentar sozinha não vou ter um bloqueio... :)
A costela de porco se chama Arista (árista) e quer dizer a melhor parte do porco. Uma palavra que está relacionada a aristocracia, o pedaço mais caro, etc. Ele foi recheado com ervas e frito na panela antes de ir ao forno.
As batatas também ficaram uma delícia, mas pra ficar assim deve se colocar azeite sem medo!

Crostini di Fegatini

Crostini di Fegatini
Torrada com patê de figado

Arista

Arista
A nossa arista antes de ser cortada em fatias. Tá meio fora de foco...

Batatas ao forno

Batatas ao forno
O alho pode ir inteiro, com casca! Tempera com sal, pimenta e alecrim.

Dicas para a batata!

Depois de cortar a batata em pedaços se coloca ela dentro d'água para tirar o amido da superfície cortada (na receita diz por meia hora). Dessa forma a batata não gruda uma na outra se for frita, etc.

Antes de levar ao forno, ferva uma panela d'água, quando estiver fervendo jogue as batatas e dê uma cozida rápida por 2min. Dessa forma a batata vai fazer uma crostinha quando levada ao forno!
Escorrer as batatas após os 2min, secar as batatas com papel toalha e colocá-las sobre uma forma coberta com papel manteiga. Tempeire com alecrim, pimenta e dente de alho. Pode-se colocar folha de louro também. Regue com muito azeite e leve ao forno quente por cerca de 30min.

COLOQUE O SAL SÓ NO FIM! Se você colocar na hora de levar ao forno elas vão soltar água e não ficará crocante.

Fim da aula

Fim da aula
Assim ficou nossa mesa de preparo depois de tudo pronto!

Meu prato

Meu prato
Este foi o meu prato, junto meu caderno com milhares de anotações...

Terceira aula

Neste dia conhecemos o professor Claudio. Tivemos uma aula teórica sobre higiene, etc. Bastante semelhante com as regras de higiene sanitária que temos no Brasil... Nada de muito novo.
No fim da aula fizemos uma pasta com o Ragù Napolitano, que depois de tanto tempo de preparo nem achei assim tão bom... Sei lá! Fizemos o Ragù durante dois dias de aula e no fim não sei dizer se recompensa tanto diante de tanto trabalho. Mas foi bom ter algo para almoço de qualquer forma.

Esse professor é um tanto estranho, não muito ou nada didático! Parece que não preara a aula e é meio confuso na hora de orquestrar as receitas. Bem, cada professor tem seu jeito. Aos poucos vou escrevendo um pouco sobre cada um!

Claudio

Claudio

Ragù Napolitano

Ragù Napolitano
Essa massa é complicadíssima de se comer! Fora que é meio estranha na sua apresentação, né?!

Segundo dia de aula

Tivemos aula com a professora Gianna. Muito simpática e profissional, consegue passar a informação com calma e de forma simples de se entender. Tivemos uma aula sobre molhos a base de azeite de oliva. Muito boa e muito pesada... Temos que provar tudo aquilo que fazemos em aula! Como cozinhamos três molhos diferentes e ainda fizemos uma espécie de picadinho toscano, comemos muito! Mas estava tudo delicioso... um perigo.

Gianna

Gianna
Nossa professora jovem.

spezzatino con le patate

spezzatino con le patate
Esse é fácil de entender, picadinho com batata. Muito gostoso! Depois de tanto macarrão ter um picadinho como prato principal é um luxo!

Salteando o spaghetti

Salteando o spaghetti
Antes de terminado o cozimento do spaghetti, os italianos tiram ele d'água e jogam junto ao molho na frigideira. Ele chegará ao ponto "al dente" durante esse processo.

Spaghetti com molho de laranja

Spaghetti com molho de laranja
Receita simples e saborosa... Leva anchovas e salsa picada

Spaghetti com molho de anchovas

Spaghetti com molho de anchovas
Muito simples e gostoso... leva farinha de rosca tostada e parmesão ralado.

Cantuccini di Prato

Cantuccini di Prato
Biscoitinhos tipicos da cidade de Prato, devem ser degustados com vinho Santo, aqueles doces de sobremesa. Muito bom!

Escola Cordon Bleu Firenze

Escola Cordon Bleu Firenze
esta é uma parte da cozinha... muito limpa e organizada!

a outra parte da cozinha. De preto a proprietária e professora Gabriella Mari, ao seu lado está Giana, outra professora. Ao fundo está Masako, aluna japonesa.

Algumas receitas básicas!

Bem, estou meio atrasada com essa história de blog, mas ainda não me acomodei em um lugar permanente, tá tudo meio bagunçado!
Achei que no fds teria tempo de organizar tudo, mas acabei tendo um feriado bastante agitado e intenso de caminhadas, passeios... Melhor assim!

Vou postar o que ficou faltando da primeira aula, aquelas receitas básicas tipo 'Caldo de Carne' e 'Fondo Bruno'.

Brodo di Carne e Bollito

Ingredientes
1kg de carne bovina (tanto carne quanto osso)
700g de lingüiça de vitelo
1 cebola branca espetada com um cravo
1 dente de alho
1 cenoura em pedaços
1 tomate maduro (facultativo)
1 talo de aipo em pedaços (não se usa as folhas, mas pode-se guardar para decoração)
1 maço de ervas aromáticas (ramo de salsa, louro, tomilho...)
sal grosso
4 litros d’água
pimenta preta em grãos

Modo de preparo:
Deixar de molho durante uma hora em água fria a carne e os ossos.
Em uma panela grande, colocar a água fria e os ossos, leve a ebulição. Durante esse processo aparece uma espuminha estranha, esta deve ser retirada, ou pode-se jogar esta água fora e começar tudo de novo.
Juntar as verduras e o enroladinho de ervas. Ferva lentamente, fogo baixo, por pelo menos 2h30 com a panela semicoberta. O caldo deve ser filtrado para se retirar a parte solida do brodo.
Nesta preparação a carne solta todo o seu sabor e líquido na água, por isso não é saborosa. Caso se queira aproveitar, esta é recomendada para preparações de salada, a vinagrete com cebola, etc.

Muitos chefs cozinham carnes, que serão usadas em receitas diversas, no brodo para ressaltar o sabor. O brodo também é muito utilizado em lugar da água pura para diluir um molho ou para acrescer líquido em uma preparação... Vocês vão ver que o brodo é praticamente indispensável em uma cozinha!

Fondo Bruno

Outro clássico da cozinha! É a base de vários molhos de carne, o primeiro estágio do Demiglace.

Ingredientes
2kg de osso de vitela ou bovina (deixado de molho por duas horas em água fria)
200g de carne bovina ou vitela
100g de pele de porco
1 cebola roxa ou branca
1 cenoura
1 talo de aipo
1 dente de alho (pode ser com casca)
1 enroladinho de ervas aromáticas (veja a receita de Brodo)
vinho tinto
sal grosso
grãos de pimenta

Modo de preparo:
Depois de deixar os ossos de molho, escorrer e colocar tudo num tabuleiro ou panela que possa ir ao forno junto com as outras carnes. Levar ao forno bem quente deixando-as bem douradas. Assim toda a gordura da carne se derrete e pode ser separada. Feito isso, retire a carne do tabuleiro e coloque-a em uma panela bem grande com 5 a 6 litros de água fria. Leve a ebulição.
Enquanto isso, retire a gordura do tabuleiro com cuidado. Leve o tabuleiro sobre o fogão, junte as verduras picadas finamente e o enroladinho de ervas. Refogue brevemente e junte o vinho tinto em abundancia para “deglassar” bem o fundo do tabuleiro. Quer dizer, derreter todo aquele caldo de carne que grudou no fundo. Junte este molho à panela onde está a carne e deixe ferver lentamente. Retire se necessário a espuma que se formar com uma escumadeira. Quando o líquido se reduzir a altura dos ossos, o Fondo Bruno estará pronto. Retire a carne, peneire o líquido tirando as partes sólidas e deixe esfriar. Com a carne pode-se fazer almôndegas e outras preparações pois esta é bem saborosa!

A partir do fondo bruno também pode se fazer o “Demiglace” e o “Glace de Viande”. Para tanto deve se reduzir o fundo bruno até uma consistência de xarope, usando panelas cada vez menores.
A “Glace de Viande” é a redução do demiglace.

Recomenda-se não colocar sal no fondo bruno para não arriscar de ficar muito salgado quando estiver pronto.
O fondo bruno pode ser congelado em forminhas de gelo para ser usado posteriormente. Coloque sempre uma etiqueta com a data de fabricação e indicação do que é, os preparos devem ser consumidos em até 3 meses.

Firenze

Firenze

Primeiro dia no Cordon Bleu

Vou tentar organizar as coisas aqui no Blog. Hoje o dia foi intenso e aprendemos várias receitas... Colocarei as receitas da parte da tarde que consegui tirar foto. As outras todas — estávamos com tanta fome — comemos antes de conseguir pensar em fotografar!

Fondente di patate com lenticchie del castellucio e pancetta croccante

Fondente di patate com lenticchie del castellucio e pancetta croccante
Receita do Chef Bonucci

Receita

Ingredientes
batatas cozidas
brodo
creme de leite fresco
cebola, louro e alho
lentinhas cozidas
bacon
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Descasque e cozinhe as batatas no leite com folha de louro, quando estiverem macias, passe no espremedor para obter um purê. Coloque numa panela e misture um pouco do brodo, ajuste o sal e tempere com pimenta. Se ficar muito consistente misture um pouco de leite ou creme de leite. Deve ser bastante liquido, como um creme.
Doure a cebola picada no azeite junto com o alho (este pode ser inteiro e com casca) e folha de louro. Junte o bacon cortado em cubos. Quando estiver pronto junte as lentinhas e deixe no fogo por alguns instantes até pegar gosto.
Corte fatias longas e finas de bacon, leve em uma travessa ao micro-ondas. Vire as fatias para irem secando dos dois lados, até ficarem crocantes. Seque num guardanapo o excesso de gordura.
Numa tigela pequenina coloque um pouco de creme de batata, por cima uma colherada de lentilhas e para decorar uma fatia de bacon crocante. Pode-se aprimorar a decoração com um fio de azeite, uma pitada de pimenta e cebolinha.

Tortino di patate con crema di parmigiano

Tortino di patate con crema di parmigiano
Chef Bonucci

Receita

Ingredientes:
batatas cozidas
cebola roxa
parmesão
azeite extra virgem
creme de leite fresco
sal e pimenta a gosto
batata frita a portuguesa para decoração
pitada de noz moscada

Modo de preparo:
Pique as cebolas, refogue no azeite com um pouco de açúcar e folha de louro. Assim que estiver pronta junte o vinho tinto e deixe cozinhar.
Descasque e cozinhe as batatas no leite com folha de louro, quando estiverem macias, passe no espremedor para obter um purê. Misture o parmesão, o azeite até obter uma textura cremosa, mas firme. Tempere com sal e pimenta.
Leve ao fogo o creme de leite ecom um pouco de parmesão, cozinhe em fogo baixo até engrossar. Coloque uma pitada de noz moscada.Unte forminhas individuais com manteiga e coloque uma camada de meio centímetro de cebola, cubra o restante com o purê de batata. Leve as forminhas em banho maria ao forno (temperatura média) por cerca de 15 minutos.
Desenforme uma forminha sobre um prato, derrame um pouco do creme de parmesão envolta da tortinha, decore com a batata frita e gotas de um molho escuro.

Uovo d'oro farcito

Uovo d'oro farcito
Chef Bonucci

Receita

Ingredientes
batatas cozidas
açafrão
ovo de codorna
parmesão
creme de leite fresco

Modo de preparo:
Descasque e corte as pontas das batatas de modo que fiquem em pé. Tire com uma faca o miolo, como se fosse um “copinho”. Cozinhe-as em água com açafrão e sal por cerca de 10min. Controle a consistência com um palito, elas não devem ficar muito macias e sim crocantes!Faça um creme com os miolos de batata, o parmesão e um pouco de creme de leite. Tempere com pimenta.
Coloque as batatas sobre uma forma, em cada uma coloque um ovo de codorna (cru) e cubra com uma colherada do creme parmesão.
Leve ao forno (temp. média) até que estejam cozidos. Isto vai depender do tamanho das batatas... por isso elas devem ter tamanho o mais semelhante possível.
Depois de cozido, corte a batata ao meio e arrume-a sobre um prato. Pode-se decorar de várias formas, com cogumelos frescos, molho de queijo, cebolinha, etc. O ideal é que a gema do ovo não esteja completamente sólida.

Fois Gras con gelatina di Aperol e arancie flambate

Fois Gras con gelatina di Aperol e arancie flambate
Chef Bonucci

Receita

Ingredientes para gelatina
250g de licor
50g de água
2g de Agar-agar (alga japonesa que substitui gelatina incolor)
1 colher de sopa de açúcar

Modo de preparo:
Leve tudo ao fogo até ferver, coloque em uma forma de maneira que tenha meio centímetro de altura, coloque no congelador para endurecer. O Agar-agar toma consistência mais rapidamente que a gelatina convencional.

Ingredientes para preparo da laranja
2 laranjas
manteiga
açúcar demerara
folhas de louro

Ingredientes para redução de molho de soja com aceto balsâmico
dois terços de aceto balsâmico
um terço de molho de soja
1 colher de açúcar

Modo de preparo:
Com um zester retire a casca das laranjas. Descasque-as e corte os gomos prestando atenção para descartar a parte branca. Deve retirar somente a polpa!
Em uma frigideira derreta a manteiga e um pouco de açúcar junto com duas folhas de louro. Quando estiver pronto junte os gomos de laranja e um pouco de ‘gran marnier’ para flambar. Não deixe cozinhar por muito tempo para os gomos não se desfazerem!
Em outra panela coloque um pouco d’água e açúcar até fazer uma calda. Jogue as cascas de laranja e deixe cozinhar para perderem o gosto amargo. Escorra.
Corte torradas de pão e frite-as em uma frigideira com azeite.
Decore um prato com a redução do molho de soja, coloque a torrada, por cima o fois gras e cubra com a gelatina de licor. Arranje os gomos de laranja ao lado e jogue uma pitada de sal grosso, cebolinha e pimenta moída sobre a torradinha/ prato.